Publicidade

 

CL na rede

 

Sites Parceiros

Yams Tutoriais Colmeia: O melhor dos blogs

 

Porque a velocidade de internet que recebo é menor que a contratada?

Publicado em 16/12/2014 - Por Crystian Lima - 1.953 Acesso(s) - 0 Comentário(s)
Imagem de identificação do artigo

Veja uma explicação detalhada, explicando os vários fatores que fazem com que velocidade recebida seja bem menor que a contratada!

Existem várias empresas no mercado nacional que oferecem o serviço de conexão a internet, com diversos planos, pacotes e preços. Algumas têm mais qualidade no serviço e outras deixam muito a desejar. Como estamos em um país com dimensões continentais, é obvio que a qualidade dos serviços varia de uma região para outra. Mas no geral o que acontece é o seguinte: Contratei 10Mb (mega) e mesmo assim minha conexão é lenta pra caramba! Por quê?

Antes de lançar uma explicação, vejamos alguns fatores:

Megabits e Megabytes

Esse é um ponto que muitas pessoas desconhecem e pessoal do marketing se aproveita disso. Vejamos:

  • Megabyte (MB) é a unidade que mede a capacidade de armazenamento de alguma coisa.
  • Megabit (Mb) é a unidade que mede a velocidade de transmissão de dados.

Bits

Um exemplo bem simples: Tenho dois pen drives com capacidade de 128MB (megabytes), quando eu for passar as informações de um para o outro, elas serão transferidas na velocidade de 10Mb/s ou 10Mbps (megabits por segundo).

Então, para saber a velocidade de download de sua conexão de internet, basta pegar o valor contratado (Ex.: 10Mb) e dividir por 8 (Ex.: 10Mb/8 = 1Mb/s ou 1Mbps).  Ou seja, quando se compra um pacote com 10 mega, na realidade a velocidade nominal MÁXIMA de download é de 1Mb/s!

Regulamentação

RegulamentaçãoBom, já sabemos então como chegar à velocidade MÁXIMA que devemos receber. No Brasil, as regulamentações favorecem as empresas e os clientes que se ferrem! A Anatel manda que a velocidade de transferência instantânea fique em torno de 40% e a media deve ficar em torno de 80%.

Perceba que mesmo assim, as empresas não são obrigadas a entregar o tal 1Mb/s, elas podem entregar 0,4Mb/s ou 400Kbps e ainda estão dentro da lei (e cobrando sua fatura).

Datacenters

DatacenterOs datacenters (centrais de dados) são peças fundamentais para o funcionamento da internet. Nesses grandes edifícios ficam grandes computadores, superpotentes, ligados 24 hora por dia, com várias conexões a internet e inclusive geradores de energia elétrica (a diesel!). Tudo para manter os sites funcionando numa boa. Os maiores e principais datacenters ficam nos Estados Unidos, Canadá, Holanda, Alemanha, Reino Unido, entre outros países.

Imagine um horário de pico de acesso à internet, todos os servidores funcionando a milhão! Vai chegar um ponto que por mais rápida que seja a conexão a internet, tudo vai ficar lento até travar. Ai acontece o clássico senário: baixo um jogo a 1Mb/s, mas quando vou assistir um vídeo no YouTube, ele fica parando para carregar toda hora! Isso pode acontecer devido a grande demanda de acesso ao servidor onde o vídeo está. E o mesmo acontece para os downloads. Posso baixar um arquivo super-rápido do site X, mas quando vou baixar do site Y  fica muito lento.

Existem alguns datacenters no Brasil, porém eles não são tão funcionais como os internacionais, uma vez que a velocidade de conexão a internet disponível no Brasil é muito inferior. Um exemplo: um datacenter nos Estados Unidos ou Canadá pode ter um link de 1Gb/s (1 gigabit por segundo!) enquanto no Brasil os datacenters tem em média 100Mb/s! Isso faz com que o acesso aos sites que estão no Brasil seja bem mais lento que o acesso aos sites que estão hospedado no EUA, por exemplo.

Traffic shaping

TrafficO traffic shaping (do ingles, modelagem de tráfego) é uma prática adotada pelas empresas, que consiste em controlar o trafego a alguns sites específicos. Por exemplo: verifica-se que tal hora há uma grande demanda de acesso ao site Y, milhares de acessos e muitos downloads de vídeos e ouros materiais. Isso sobrecarrega a estrutura da empresa de comunicação e os outros clientes vão ter problemas ao acessar o Google por exemplo. Porque a conexão está sobrecarregada com os acessos ao site Y.

Para resolver isso, a empresa vai cortar a velocidade de transmissão de dados quando for acessado o site Y, fazendo com que os clientes que o acessem fiquem com velocidade bem reduzida enquanto os outros clientes podem seguir navegando normalmente. Isso acontece muito na internet móvel (3/4G) e para piorar, o traffic shaping foi praticamente legalizado com a aprovação do marco civil da internet!

Problemas na rede da empresa

PosteComo já vimos: o traffic shaping é uma solução para as empresas e um problema para os clientes e como se não bastasse além do traffic shaping, nós temos outro grande problema que é a rede de comunicação das empresas.

Tomemos como exemplo Porto Alegre: os datacenters das principais empresas de comunicação ficam na região central da cidade. Em alguns bairros da zona sul (que fica em torno de 10 a 15km do centro) a velocidade oferecida pelas empresas é muito inferior a velocidade disponível nos bairros próximos ao centro. Isso acontece porque a rede de cabos que vai para a zona sul já é ultrapassada e não suporta mais a demanda! E o que as empresas fazem? Traffic shaping e cobranças ao invés de investimentos em modernização das redes!

. . . . .

Bom, vimos vários pontos que podem explicar porque de vez em quando (quase sempre) a internet que deveria ser rápida é uma verdadeira tortura para navegar, jogar, ler, para tudo!

Este artigo não possuí comentários. Seja o(a) primeiro(a) a comentar!

Deixe seu comentário:

Importante: Todo comentário obsceno, ilegal, ofensivo, anônimo, escrito todo em MAIÚSCULA, com excesso de gírias ou links que não fazem relação ao conteúdo ou publicidade, será apagado.

2013 - 2018 - CL Master

Site desenvolvido por Crystian A. Lima

Contato: clwebdev@hotmail.com